Se você chegou até este artigo e está preocupado porque não tem como pagar suas dívidas, saiba que existe solução para este problema!

O endividamento atinge muitas pessoas em nosso país. E, antes de saber como recuperar a saúde financeira, precisamos entender as causas que te levaram a ficar endividado.

Neste artigo, vamos apresentar quais os principais motivos do endividamento e, em seguida, daremos 8 dicas essenciais para acabar com essa situação de endividado de uma vez por todas. Acompanhe a leitura e descubra como sair do endividamento!

Quais as principais causas do endividamento no Brasil?

Instabilidade econômica, inflação, alta dos juros… Sabemos que tudo isso pode levar os brasileiros a ficar endividados. 

Porém, é preciso tratar os problemas pela sua raíz. Então, nada melhor do que entender as verdadeiras causas do endividamento. Vamos lá conferir quais são os principais motivos pelos quais as pessoas não conseguem pagar suas dívidas?

Desemprego

Segundo pesquisa do Serasa, a falta de emprego foi um dos principais motivos de endividamento no ano de 2021: 30% dos respondentes elencaram o desemprego como o grande obstáculo na hora de pagar suas contas em dia.

Falta de educação financeira

As restrições de conhecimentos relacionados à saúde financeira também aparecem como um grande motivo para o endividamento, já que muitos brasileiros acabam perdendo o controle por não saber administrar corretamente suas finanças e, com isso, tornam-se endividados mesmo quando possuem uma renda fixa.

Consumismo desenfreado

O estímulo ao consumo por parte das empresas e instituições financeiras também pode se tornar um vilão que contribui para o endividamento. 

O controle, por outro lado, está nas mãos do consumidor, que deve analisar friamente antes de fazer uma compra só porque o produto está em promoção ou com condições facilitadas para parcelamento.

Descontrole no uso do cartão de crédito

A falta de educação financeira tem outra consequência clara para que mais pessoas fiquem endividadas: o descontrole no uso do cartão de crédito.

Excesso de parcelamento e pagamento mínimo da fatura são alguns dos problemas que o uso desenfreado do cartão pode ocasionar, gerando o efeito bola de neve que leva muitas pessoas a se tornarem endividados.

Gastos maiores do que os recebimentos

Por fim, o simples fato de se gastar mais do que ganha é uma das maiores causas para o endividamento. Afinal, mesmo que em alguns meses o limite do cartão de crédito ou da conta corrente deem conta do recado, em algum momento esta situação pode sair do controle, fazendo com que você fique endividado.

Estou endividado: o que fazer?

Agora que você já conhece as principais causas do endividamento, já deve ter identificado o que o fez chegar a esta situação de não ter como pagar suas dívidas.

Porém, como já falamos no início do artigo, é importante manter a calma e acreditar que é possível acabar com o problema.

1 – Saiba qual é o valor real das suas dívidas

O primeiro passo é ter conhecimento sobre o valor total da sua dívida. Por mais que exista um receio de olhar para a situação atual dos pagamentos em atraso, é essencial calcular os valores atualizados das dívidas para que um plano de recuperação financeira seja montado.

2 – Corte gastos 

Se você não sabe como sair do endividamento, o ato de cortar gastos é inevitável para resolver essa situação.

Para isso, anote cada um dos seus gastos, separando-os entre fixos e variáveis. A partir disso, faça um verdadeiro pente fino e encontre meios de economizar.

É importante ter em mente que esta etapa pode ser muito difícil, pois o fará abrir mão de alguns confortos no momento presente. Porém, lembre-se de que sem esforço, você não sairá do lugar e que, no futuro, esta contenção de gastos valerá a pena, pois você se verá livre das dívidas e terá uma vida muito mais tranquila.

3 – Organize seu fluxo financeiro

Muitas vezes, o endividamento pode acontecer não só por falta de recursos, mas por desordem no fluxo financeiro.

Vamos considerar que você tem um automóvel financiado e precisa pagá-lo todo dia 10, porém só recebe seu salário no dia 15. Estes 5 dias de atraso podem estar sendo os responsáveis pela utilização do cheque especial, que o faz pagar juros no mês seguinte e acaba tomando parte dos seus recebimentos logo no início do mês.

Com uma organização de fluxo entre recebimento e gastos, você pode mudar a data de pagamento do financiamento, por exemplo, e começar a resolver problemas pontuais com atrasos que ocasionam em multas e juros.

4 – Encontre formas de aumentar sua renda

Se, depois de cortar gastos e organizar seu fluxo financeiro, ainda assim você não conseguir sair do endividamento, então significa que é hora de aumentar seus recebimentos. 

Para isso, você pode pensar em formas de conseguir renda extra. Algumas opções são:

  • Vender roupas e objetos que você não usa mais;
  • Fazer doces para vender no seu bairro ou no trabalho;
  • Dirigir para aplicativos nas horas vagas;
  • Ser afiliado digital;
  • Entre outros.

5  – Comece a pagar as dívidas mais caras

Esta é a dica de ouro que poucas pessoas sabem! Se você tem mais de uma dívida e precisa quitá-las aos poucos, é ideal analisar a taxa de juros de cada uma delas e escolher pagar aquela que mais têm incidência de juros.

Isso não significa pagar a que tem maior valor atual, mas sim aquela com maior potencial de crescimento.

Outra opção, nestes casos, é trocar a dívida cara por uma mais barata. Por exemplo, se você está com faturas do cartão em atraso, verifique se os juros de um empréstimo são mais baratos e, em caso positivo, pegue o empréstimo para quitar o saldo do cartão. 

6 – Negocie as dívidas

Não tenha medo de negociar suas dívidas. Os bancos, instituições financeiras e empresas de cobrança normalmente têm políticas de redução de juros para ajudar os endividados. 

Então, antes de pagar, entre em contato com o credor, explique sua situação, seja sincero sobre as condições ideais para você e chegue em um acordo que o ajude a sair do endividamento.

7 – Engaje sua família na educação financeira

Se você seguir todos os passos anteriores, certamente chegará a outro patamar em relação às suas dívidas e poderá finalmente enxergar uma luz no fim do túnel para sair dessa situação.

Neste momento, é muito importante ter consciência de que, caso a educação financeira não entre de uma vez na sua vida, o endividamento pode vir assombrá-lo no futuro.

Então, não perca todo o seu esforço e aproveite esta situação para usar como aprendizado, conscientizando toda a sua família acerca da importância de manter o controle nas finanças.

Incentive todos ao seu redor a não gastar desenfreadamente e viver uma vida dentro das condições que sua realidade financeira lhe permite.

8 – Crie uma reserva de emergência

Por fim, a melhor forma de sair para sempre das dívidas e se precaver se imprevistos é criar sua reserva de emergência.

Tenha em mente que ela não será construída da noite para o dia, mas se você poupar um pouco todos os meses, terá para onde correr diante das adversidades financeiras. Isso lhe dará fôlego para lidar com imprevistos sem ficar endividado novamente,

Dica bônus: negocie fácil as suas dívidas

E então, agora que você já sabe o que fazer para sair do endividamento, queremos te dar uma dica bônus!

Com a Negocia Fácil, você pode quitar suas dívidas com condições exclusivas. Saia já do status de endividado, acesse nosso site e saiba como!